Sequelas emocionais do fim de um relacionamento

Sequelas emocionais do fim de um relacionamento

Sequelas emocionais do fim de um relacionamento

04 de julho de 2022

Passar pelo fim de um relacionamento nunca é fácil, principalmente quando o casal já está junto há alguns anos. Tanto em namoros como em casamentos, geralmente há sofrimento de ambas as partes.

O término de uma relação pode afetar a autoestima, causar um sentimento de vazio e até mesmo de culpa. Aceitar que o relacionamento acabou é a primeira etapa da recuperação, mas o sofrimento também faz parte do processo. É necessário que se permita a sentir para que possa ultrapassar esta situação da forma menos penosa e mais tranquila possível.

Infelizmente, não há fórmulas mágicas no que toca a este tema, contudo, o Felizes.pt vai ajudá-lo para que, quer esteja a superar o fim de uma história, de um amor, ou caso venha a passar, ganhe os conhecimentos necessários para se reerguer sem sentir que está sozinho a lutar contra a maré.

O luto - dor física e dor emocional

É comum que a separação traga uma dor física e emocional. Muitas pessoas relatam sensações físicas como falta de ar, dores no peito, alterações no apetite, no peso, no sono, entre outras. Os sentimentos vão do vazio à raiva e o trauma emocional e a confusão fazem com que, muitas vezes, caiamos num "buraco" emocional.

Raras são as vezes que as pessoas não se questionam sobre o motivo que levou a relação a terminar, o que terá sido feito de errado, o que poderia ter sido melhor. Há uma tendência para a culpabilização que gera altos níveis de ansiedade, baixa autoestima, sofrimento e desconfiança.

Estas sensações resultam do chamado luto - estado de espírito penoso em que o interesse pelo mundo externo diminui e os pensamentos costumam girar em torno de algo ou alguém que se perdeu.

Sentimentos mais frequentes

Ansiedade

Geralmente, as pessoas que, por norma, são mais ansiosas veem esta emoção exacerbar sentimentos de insegurança e a sua mente girar à volta de pensamentos ruminantes que têm um impacto prejudicial na saúde.

Exemplo disso é o uso excessivo do telemóvel para enviar mensagens ao ex-companheiro, fazer chamadas ou estar constantemente a perseguir o outro nas redes sociais.

Baixa autoestima

A perda de alguém é algo muito difícil de se superar e por mais conversas que sejam tidas, ficam sempre coisas por dizer. Achamos que nos falta uma resposta concreta para o motivo pelo qual aquela pessoa já não deseja estar connosco. Ficamos com inúmeras questões na nossa cabeça sobre o motivo que desencadeou o fim da relação e, por vezes, limitamo-nos a supor, mas sem certezas. Isso gera sofrimento e, mesmo sem querermos, acabamos por nos culpabilizar pois achamos que a outra pessoa se fartou de algo que nós possamos ter feito ou dito.

Sentimento de impotência

Quando alguém que amamos nos diz que já não quer estar connosco, sentimo-nos impotentes, pois perante esta revelação não temos como controlar o que o outro sente por nós. Apesar de continuarmos a gostar do nosso companheiro ou companheira e de vermos um futuro juntos, "são precisos dois para dançar o tango".

A criação de uma armadura para os relacionamentos futuros

O sentimento de insegurança, geralmente, está mais associado à pessoa que é deixada, pois esta passa a ter receio de se envolver futuramente com outros, com medo de lhe acontecer o mesmo.

É importante que tome consciência do que sente, que observe e reconheça as suas emoções, que as normalize e aceite que se trata de uma fase, e, com o tempo, acabe por deixar ir estas emoções.

A vulnerabilidade é das coisas mais bonitas que alguém pode ter e, por isso, evite refugiar-se no trabalho ou numa nova relação para manter a cabeça sempre ocupada. Permita-se estar sozinho, conheça-se a si mesmo, mostre aos outros o seu verdadeiro estado de espírito e aproveite para desabafar e ouvir o que os seus amigos, família ou terapeuta têm para lhe dizer.

Esperamos ter ajudado e, caso esteja a passar por este dissabor, não sinta que está sozinho.

Felizes.pt



Partilhar no FacebookPartilhar
 
1 Comentário

Carla
Há 3 dias

Excelente texto. Escrito de forma simples e tudo o que é referido está completamente correto.

Inserir comentário

Inserir