Primeiro encontro depois do confinamento? Guia para voltar aos encontros presenciais e evitar o FOMU

Primeiro encontro no desconfinamento

Primeiro encontro depois do confinamento?

21 de Abril de 2021

A pandemia tem sido um grande entrave na busca do amor no último ano e, a não ser que seja um dos poucos fãs acérrimos das videochamadas, está certamente ansioso para voltar ao normal e dar espaço ao amor, na vida real.

Começa esta semana a terceira fase do desconfinamento, e com ela a abertura de muitos estabelecimentos, a possibilidade de fazermos mais atividades no exterior e a oportunidade de nos reunirmos (em número controlado) em esplanadas e restaurantes. Este aliviar de medidas quer também dizer que voltamos a poder estar com quem gostamos - ou gostávamos de conhecer melhor.

Mas e se estiver preocupado(a) em encontrar-se com alguém na vida real depois de tanto tempo? Quer tenha preocupações de saúde com a covid-19 ou esteja socialmente ansioso por voltar a interagir com pessoas na vida real, saiba que pode voltar à “normalidade” com o seu próprio ritmo. Se é este o seu caso, não está sozinho neste fenómeno que até tem um nome: FOMU - Fear Of Meeting Up (medo de voltar a encontrar-se com alguém).

Deixamos aqui um guia para lidar com a ansiedade do primeiro encontro pós-covid:

Seja honesto sobre como está a sentir-se

Lembre-se que, apesar de já poder sair, não quer dizer que o deva fazer. Faça-o ao seu próprio ritmo e não exerça demasiada pressão sobre si. Se não estiver pronto para um encontro presencial, seja porque não se sente preparado ou porque está ansioso com a interação social, apenas tem de o dizer. Fale com a outra pessoa sobre isso e discutam o tema.

Marque o primeiro encontro por videochamada

Se ainda não está cansado das plataformas que nos possibilitam simular o real e falar em direto com outras pessoas, pode continuar ausá-las! As plataformas online continuam a existir e podem ser muito úteis nesta fase. A pandemia mostrou-nos que o digital é uma boa forma de nos ligarmos a outras pessoas, de criarmos e mantermos relações. Se o fizer antes de se encontrar pessoalmente com o seu interesse amoroso, vai sentir-se mais confortável com essa pessoa - no final de contas, vai conhecê-la muito melhor.

Pense em alguns temas fáceis de conversa

Sim, falar com pessoas - especialmente com pessoas novas - na vida real pode fazê-lo sentir-se um pouco estranho durante algum tempo. Mas não se preocupe, pode preparar-se de antemão para que se sinta pronto(a) e menos ansioso(a).

Vá para este encontro munido(a) de temas gerais que podem ajudar a conversa a fluir: os planos que têm para quando tudo abrir, o que têm estado a ver na Netflix, entre outros. Agora que as restrições estão a levantar, vai ter mais assuntos de que falar: pergunte-lhe como se sente sobre o assunto, que novos hábitos tem criado, por exemplo. É provável que não precise de muitas dicas , uma vez que a conversa deve fluir naturalmente, mas é sempre bom sentir-se preparado.

Planeie uma atividade

O que podemos fazer está limitado mas se sente que um encontro sentado na esplanada pode ser demais, porque não planear um passeio junto ao rio, uma caminhada pelo parque, um passeio de bicicleta ou até um jogo (de ténis, por exemplo) para aliviar o nervosismo?

Viva isto da melhor forma

Divirta-se. Pode haver alguns momentos embaraçosos, mas depois de estarmos isolados durante tanto tempo, ter a possibilidade de conhecer novas pessoas é uma pausa bem-vinda na rotina. O mais importante é ser honesto, ser honesto com quem se é e com o que se quer, e querer e gostar de conhecer a outra pessoa.

Mantenha a distância

Pense nos aspetos positivos

Apesar de haver um impacto negativo nas relações no último ano, também houve alguns aspetos positivos: o Felizes.pt, por exemplo, teve um aumento de subscritores durante o último ano em relação ao anterior. Os encontros online ajudaram a criar ligações românticas online mais fortes e as conversas no digital tornaram-se mais detalhadas e emocionais. Depois disto tudo, quem quiser “aventurar-se” a sair vai provavelmente estar mais aberto a trabalhar numa relação ou a criar laços significativos com a outra pessoa.

Mantenha-se seguro - deve ou não usar máscara?

Se estiver preocupado em não contrair ou transmitir o vírus, lembre-se das formas como pode reduzir o risco enquanto desconfina. Uma das maiores preocupações é, evidentemente, contrair ou espalhar o vírus. É importante que todos nós respeitemos o mais possível o distanciamento social, e tomemos precauções tais como usar máscaras, desinfetantes de mãos e fazer o nosso melhor para seguir os regulamentos governamentais e garantir que estamos tão seguros quanto possível quando estamos em contacto próximo com outros, mesmo quando desejamos ser fisicamente afetuosos com aqueles que nos rodeiam.

Como nos cumprimentamos?

Em termos de toque físico, as pessoas terão de se tornar explícitas acerca das suas preferências e daquilo com que se sentem confortáveis. Se tem de o fazer com os seus amigos e colegas de trabalho (lembra-se quando passámos de nos cumprimentarmos com beijinhos e passámos a cumprimentar com o cotovelo?), terá certamente de o fazer numa nova relação. Opte por perguntar à outra pessoa com o que se sente mais confortável e faça-o sempre em cada uma das fases da relação.

Não deixe de pensar em como está a sentir-se

Lembre-se de que o que sente em relação ao encontro pode mudar. Por isso, faça uma verificação mental com a outra pessoa de como estão a sentir-se durante todo o processo do desconfinamento e da nova relação. O reencontro com a sociedade deixou muitos de nós desconfortáveis mas lembre-se que ir devagar é natural, e o que importa é sermos honestos connosco e com os outros.



 
1 Comentário

paulo macedo
Há 2meses

É estranho conhecer alguém sem ver o sorriso dessa pessoa. Prefiro encontros no exterior ao ar livre para podermos "estar" e estarmos de forma natural. Um belo sorriso cativa mais do que 1000 palavras.

Inserir comentário

Inserir