O amor é uma escolha ou um sentimento?

Um casal enamorado

O amor é uma escolha ou um sentimento? Cinco casais partilham as suas convicções

25 de Março de 2021

Muita gente aceita o amor como um sentimento e não pensa mais nisso. Conseguem senti-lo no seu coração e sabem quando sabem. O problema é que ver o amor como um sentimento pode ser prejudicial às relações que dependem desse sentimento. O efeito de lua-de-mel é real e quando se desvanece, deixa muitas pessoas a cambalear e a questionar a sua relação. Por outro lado, definir o amor como uma decisão que se escolhe diariamente para mostrar o amor ao parceiro pode levá-lo a questionar os sentimentos dos outros, quando não escolhem comportar-se da maneira que você gostaria.

Perante estas premissas, o Felizes.pt foi para a rua e trouxe 5 histórias de casais com visões diferentes do que é o amor; um sentimento que se constrói no coração ou a escolha da mesma pessoa todos os dias?

Fábio e Elsa

“Acreditamos que o amor é um sentimento. Nós começámos por ser amigos e sem nos apercebermos apaixonámo-nos. Foi um sentimento que evoluiu, sem escolhermos ou fazermos para que acontecesse. Chamar escolha ao amor é acabar frustrados a pensar “eles não escolheram fazer isto, por isso não me amam nem se preocupam comigo”. Não é assim! O amor é simples, tem de se sentir.”

José Carlos e Fabiana

"O amor é um sentimento. A paixão, sim, é uma escolha.
A nossa interação com os outros, a forma como nos cativamos com um olhar, uma conversa, ou com uma dança, faz crescer um sentimento de paixão que aproxima as pessoas. É esse interesse primário, apaixonado - quase adolescente - que reforça a necessidade de proximidade entre o casal e permite o início de uma relação. Após este primeiro passo, fundamental em qualquer relação, o casal finalmente convive, conhece-se e explora-se mutuamente. Desta relação contínua de partilha, respeito e amizade pode ou não, nascer o amor. Foi assim que eu e a Fabiana encontrámos o amor."

Tiago e Mariana

“É os dois, um sentimento e uma escolha. O amor não pode ser uma escolha por si só, simplesmente escolher alguém para amar - isso é forçar o amor. Também temos de sentir as coisas. O amor é um sentimento, mas amar alguém é uma escolha de todos os dias. O amor muda e evolui, mas é uma escolha que tem de ser feita para manter a relação como uma prioridade.
Depois de nos comprometermos, o trabalho começa. Uma grande parte desse trabalho está em fazer muitas outras escolhas - em escolher trabalhar para sermos melhores e aceitarmo-nos mutuamente, está em escolher amar a mesma pessoa todos os dias.”

Casal enamorado 2

Ana e Ricardo

“Na vida não escolhemos as pessoas que o destino nos coloca no caminho, mas podemos escolher a forma como vamos relacionar-nos com elas, quando e como podem entrar e sair da nossa existência.
O amor, tal como a amizade, é acima de tudo uma escolha, na medida em que podemos não controlar os nossos sentimentos - que nos assaltam tantas vezes sem darmos conta - mas podemos escolher de que maneira queremos viver com esses sentimentos e os acolhemos no nosso coração.
O destino colocou-nos no caminho um do outro, o coração sentiu e nós escolhemos!
A escolha é a última liberdade humana. É por isso que também podemos amar as ‘pessoas erradas' mas só ficamos com elas se assim o escolhermos."

Joana e Frederico

“O amor não é complicado, ou se sente ou não se sente. É impossível escolher amar alguém se não sentirmos amor por essa pessoa. O amor é instintivo e, no nosso caso, somos atraídos um para o outro como ímanes. Claro, podemos escolher passar tempo com alguém, mas não há garantias de que isso resulte em amor. Ser paciente, bondoso, compreensivo, empático, de confiança e uma série de outras qualidades associadas ao amor não são algo que as pessoas possam escolher ser.”


Parece ao Felizes.pt que o amor não é um ou outro, é um “e”. O amor implica fazer as escolhas necessárias para nutrir e manter um sentimento, e por isso é impossível ter um sem o outro. O sentimento inspira a escolha para trabalhar na relação e, em troca, isso reforça a relação que lhe dá o sentimento de amor, que em troca continua o ciclo.

P.S: Partilhe connosco a sua história e diga-nos o que acha do amor.



 
1 Comentário

António Gaspar
Há 5meses

Só sentimos o que escolhemos. Nesse sentido é uma escolha. É como optar por ver o copo meio cheio. Amar é a escolha positiva da nossa vida. Querer presentear-nos com um Bem Maior. Se gostamos de nós só podemos amar o outro.

Inserir comentário

Inserir