Como viver a paixão pelo futebol, sem perder a paixão pelo seu parceiro?

Como viver a paixão pelo futebol

Como viver a paixão pelo futebol, sem perder a paixão pelo seu parceiro? O Felizes.pt diz-lhe como.

12 de Novembro de 2021

Se todos gostássemos do amarelo, o que seria do roxo? Para muitas pessoas, torcer pelo mesmo clube é importante, já que pode ser um “deal breaker” se gritarem pela equipa contrária, mas no Felizes.pt acreditamos que é possível viver a paixão pelo seu clube, quer seja futebol ou outro desporto, sem perder o amor pelo seu parceiro.

O Felizes.pt falou com alguns casais para saber histórias reais e quais as dicas para apoiar o seu clube com a confiança de que a sua relação não será afetada.

1. Seja você mesmo

Embora seja bom demonstrar interesse pelos hobbies do seu parceiro, é igualmente saudável ter os seus próprios interesses. Ninguém gosta de “troca tintas”, por isso mantenha-se fiel aos seus princípios e vai ver que com o tempo será cada vez mais fácil serem de clubes diferentes, ainda mais - de clubes rivais!

“O meu marido sempre foi do Benfica, e eu sempre fui do Sporting. Ia aos jogos com os meus pais quando era mais nova, por isso nunca senti pressão de mudar de clube quando casei. Aprendemos a respeitar o facto de ele ser do Benfica e eu do Sporting, sem que seja um big deal e sem comprometer o que sentimos um pelo outro”: Madalena, adepta do Sporting.

2. Encontrem terreno neutro

Pode ser até vantajoso que, se nenhum dos dois quer mudar de clube (e ainda bem!), encontrarem um desporto que podem começar a apoiar do zero, como Andebol ou Volleyball. Desta forma, podem os dois apoiar um outro clube em conjunto.

Se for apenas o futebol que vos faz palpitar o coração, então optem por apoiar a equipa regional, para além da equipa principal, ou uma equipa que não seja concorrente direto de nenhuma das vossas primeiras escolhas.

“Começámos a ver os jogos do Belenenses, em conjunto. Como é ao pé de nossa casa, e é igualmente um clube grande, a excitação do futebol está presente, sem comprometer a nossa cor futebolística. É como se fosse o nosso segundo clube, que apoiamos em casal. Claro que quando o Belenenses joga com o Benfica é outra conversa, mas tentamos não pensar nisso..." Raúl, adepto do Benfica e do Belenenses.

3. Cultive interesses

Se tudo o resto falhar, e for na mesma forçado a ver os jogos da sua equipa rival, então faça uma pesquisa e interesse-se quer pelos jogadores, quer pelo desporto em si. Aproveite os jogos fora para irem em passeio, se o seu parceiro for assim tão fanático pela bola, pode ser bom usarem esse tempo para conhecer novos locais nas horas que antecedem o jogo.

“O Medhi Taremi, do Futebol Clube do Porto, foi eleito o jogador preferido da Liga. Comecei a torcer por ele, pelos golos dele, e a apreciar o seu jogo de bola, em vez de me focar apenas na equipa para a qual ele joga. Desta forma, conseguia estar na sala enquanto o meu namorado via os jogos do Porto sem que isso me incomodasse.” Beatriz, adepta do Sporting.

4. Os opostos atraem

Apesar de todas as dicas para navegar este assunto, no final do dia, os opostos atraem-se e, por isso, uma boa “picardia” pode ajudar a trazer diversão ao relacionamento.
Envie GIFs do seu jogador preferido à sua cara-metade, ou decore a sala com as cores do seu clube no dia do jogo. São pequenas ideias que podem trazer momentos leves para ajudar a quebrar o gelo entre os dois e manter a chama acesa.

5. Futebol e política não se discutem

Gostamos dos nossos parceiros no seu todo, e o seu amor pelo clube faz parte do pacote. É preciso, como em tantas outras situações, ser paciente e respeitoso e nunca deixar que esta divergência crie discussões e atritos. Se for mesmo impossível não discutir quando os clubes jogam, então opte por deixar o tema do futebol à porta - falem apenas com amigos e não um com o outro. Vejam os jogos em separado, divisões diferentes, e respire fundo no fim do jogo para não entrar em conversa acesa no fim da goleada.

Tente não discutir futebol com o seu parceiro se é um tema sensível - o vídeo árbitro existe mesmo para estes momentos de verdade desportiva e não vão chegar a lado nenhum se gastarem tempo precioso a dois a discutir um fora de jogo.

“Eu sou do Sporting, e ela é do Benfica. Sempre que havia derby acabávamos a noite chateados, porque era impossível ficarmos os dois felizes. Percebemos que era melhor para a relação não falar de futebol um com o outro”: Pedro, adepto do Sporting.

No fim do campeonato, jogam os dois na mesma equipa - a vossa! Torçam um pelo outro, celebrem as vossas vitórias e pratiquem fair play, no desporto e no amor.

O artigo foi útil? Conte-nos como mantém o seu relacionamento no topo da tabela a largos pontos de diferença da vossa desavença do futebol.

Agora a bola está no vosso campo,

Felizes.pt



 
1 Comentário

Graça
Há 16 dias

Gostava de conhecer um homem maduro, honesto e com sentido de humor.

Inserir comentário

Inserir